quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Eu sabia...


Contemplado por incertezas mas convicto do que quero da minha vida…parto… sem querer olhar para trás…parto para longe com a esperança que me chames…que grites o meu nome e me faças voltar.
Sem medo vou continuando…sem medo vou procurando o que pode estar tao perto…mas que está tão bem camuflado.
Se não sou cego…porque é que não consigo ver? Se não estou preso…porque é que não consigo fugir? Se consigo andar…porque é que continuo a rastejar o meu corpo pela calçada da vida?
Se não suspiro mais…porque é que me falta o ar? se não te tenho…porque é que te quero?
Derrota previsível esta…eu sabia…lá no fundo eu não queria…mas sabia

domingo, 3 de outubro de 2010

Eu nao me importo...


Ter-te tão longe e não parar de pensar em ti…Ter-te tão perto e não te poder tocar…
Ter-te ao meu lado e não te poder abraçar…falar contigo e não dizer o que realmente quero dizer…sentir o teu perfume e não o poder acariciar…ver o teu sorriso e apenas poder admira-lo…querer beijar-te sentidamente e faltar-me coragem para o fazer…estar tão longe e sentir-te dentro de mim…chorar pouco a pouco e apenas eu limpo as minhas lágrimas…
Desejar-te mais do que tudo neste mundo e ter medo que não acredites nas minhas palavras…
Sofrer por ti em silencio sem tu nada saberes…paixão desencontrada com o encontro…
A palavra que me restava dizer no fim mas que ta solta por aí…
Querer algo que me conforte…e só ganho tristezas…
Ser vencido pelo platonismo…e lutando contra o eufemismo …
Senti…ainda sinto…mas será que quero continuar a sentir?
Eu não me importo…